Dermatologia Cirúrgica

Abrange qualquer tipo de lesão cutânea que precise de um ato cirúrgico para diagnóstico e/ou tratamento. a maior parte dos procedimentos realizados é minimamente invasiva, necessitando apenas anestesia local e exigindo pouco tempo de recuperação.

.
Na rotina do dermatologista podemos citar:

Biópsia

Retirada de um pequeno fragmento da lesão da pele ou da mucosa para diagnóstico anatomopatológico.

Cauterização Química

Aplicação de ácidos sobre uma lesão com a finalidade de destruí-las. Logo após a aplicação, a lesão adquire coloração branca e em até duas semanas forma uma crosta que é eliminada junto com a lesão. Podem ser necessárias várias sessões, a depender da doença. Não há necessidade de anestesia.

Principais Indicações: queratoses actinicas, queratoses seborreicas, verrugas, granuloma piogênico.

Exérese Cirúrgica

Remoção com bisturi de uma lesão de pele, que pode ser benigna ou maligna. A lesão retirada é enviada para análise anatomopatológica. Após a sutura os pontos podem ser retirados 7 a 14 dias, a depender da localização e extensão.
Principais indicações: tumores de pele malignos e benignos, cistos, lipomas e “pintas”

Cirurgia de unha encravada

Consiste em retirar uma parte da unha doente, visando desobstruir a sua passagem e permitindo seu crescimento adequado. A matriz ungueal (que dá origem à lamina da unha) pode ser cauterizada, com objetivo de não mais se formar naquele segmento.

A cicatrização é rápida e não tem necessidade de pontos.

Recidivas são incomuns.

Criocirurgia

Técnica que utiliza o congelamento de lesões para tratar. Normalmente, através de um spray, se borrifa um jato de nitrogênio liquido (-196ºC), destruindo o tecido desejado.
Principais indicações: tumores cutâneos benignos, pré-malignos (queratose actínica) ou até malignos, manchas, verrugas, molusco contagioso e queratose seborreica.

Curetagem

Técnica em que se utiliza um instrumento não cortante, a cureta, com a finalidade de raspar lesões mais grossas e permitir maior eficácia de outros tratamentos como a eletrocirurgia, a criocirugia ou penetração melhor de substâncias, como para retirada de lesões superficiais.
Principais indicações: molusco contagioso, verrugas, queratose seborreica e actínica.

"Drug Delivery"

O objetivo desta técnica visa promover a entrada de substâncias através da pele, em maior concentração.
A camada mais superficial da pele é a mais importante barreira contra agentes externos, apenas cerca de 0,03% de um produto aplicado consegue atingir as camadas mais profundas. E como vencer esta barreira tão coesa? Através de dispositivos que provoquem microperfurações que facilitam a entrega de medicamentos mais profundamente, além de absorver quantidade maior, potencializando o efeito. Outro benefício da técnica é o importante estimulo de colágeno.
O procedimento pode ser feito com microagulhamentos, lasers ou dermarollers (rolinhos cheios de agulhas).
Principais indicações: manchas, melasma, rugas, flacidez, rejuvenescimento, poros abertos, cicatrizes, estrias, cicatrizes de acne, olheiras e queda de cabelo.

Eletrocauterização

Este procedimento queima a área de lesão na pele, através do uso de bisturi elétrico.
A recuperação normalmente é rápida e a cicatrização demora até 3 semanas, dependendo do local e da extensão.
Principais indicações: tumores benignos, alguns tipos de cânceres da pele e lesões benignas, como hiperplasias sebáceas e ceratoses seborreicas.

Subcisão

Técnica que utiliza uma agulha grossa, sem ponta cortante, porém capaz de romper “traves de fibrose”, localizadas mais profundamente e que são responsáveis por retrair a superfície cutânea para baixo.

Este procedimento estimula produção do colágeno no local tratado, conferindo uma superfície mais uniforme.

Principais indicações: celulite, cicatrizes deprimidas e rugas profundas e estáticas

WhatsApp chat